default-logo

In cielo non c’è il vino, beviamolo sulla terra

Já que não temos vinho no céu, melhor aproveitarmos por aqui mesmo!

No post de hoje, indico a Vinícola Leone di Venezia. Localizada em Santa Catarina, em São Joaquim, a propriedade de Saul Paulo Bianco é uma vinícola única. Ao longo do texto provarei minha afirmação.


Tudo começa com a família de origem italiana de Vicenza, na região italiana do Vêneto, que se estabelece em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

Seguindo a tradição de agricultores e de produtores de vinho, o jovem Saul dedicava-se a estudar agronomia, no entanto, antes mesmo de concluir o curso, foi contratado por uma grande empresa agrícola, onde se transformou em um de seus diretores. Após se aposentar, o sonho é retomado e a história retoma seu curso original: Saul Bianco vai para Itália, onde estuda enologia em Vicenza. De volta ao Brasil, empreende algumas iniciativas, até adquirir a atual propriedade em São Joaquim e fundar a Leone di Venezia, tendo como símbolo o Leão de São Marcos e dos Dodges de Veneza (historicamente, uma cidade autônoma em meio a transição feudo-capitalista). Com essa pequena introdução, já podemos compreender elementos do caráter dos vinhos feitos pelo Bianco e sua equipe.

Paralelamente à plantação dos primeiros vinhedos em 2008, a família inicia a construção da sede da vinícola tomando como referência o Palácio Villa di Maser (1564-Treviso/Vêneto), uma obra-prima de Andrea Paládio (1490- 1572).

Se você ainda não percebeu que esta vinícola é única, vamos em frente e verá mais ainda. Saul tomou a ousada decisão de só plantar uvas Italianas ou uvas presentes na região de Treviso. Destaco as brancas como a garganega, a rialto e a gewurztraminer.

Entre tintas, o Leão de Veneza é elaborado com uvas refosco dal pedunculo rosso, a nebiolo da região. Imperdível! Além das tradicionais montepulciano, primitivo, sangiovese entre outras.

Uma paixão dos vinhos italianos e que Bianco reproduz em sua vinícola é o Amarone. Um vinho elaborado com uvas pacificadas, feito com um blend a rondinela, molinara e a corvina. O vinho, por razões óbvias, chama-se Passione, um vinho elaborado com os paradigmas do pacificado Amarone, mas que não pode receber o nome por proteção de DOC.

Não acabou, se quiser desfrutar de um vinho muito especial, Saul Bianco fez um vinho laranja. O Oro Vecchio, um processo de maceração do mosto em contato com as cascas, dando esse efeito do chamado “vinho laranja” O contato com as cascas produz a coloração “oxidada”. Se você quer um passeio pela Itália em um só lugar, vá visitar a vinícola Leone di Venezia. Você será bem-recebido e os vinhos são excepcionais.

 

Garganega

Vermentino

Refosco

Primitivo

Uvas em processo de pacificação, ao estilo Amarone

Montepulciano

E se você ainda não se convenceu, vamos lá!


Caso você se interesse por comprar esses vinhos, fale com a Bendito Vinho, com Alexandre, ele vai te atender e te ajudar a escolher.

Ao visitar a região, não deixe de viver essa experiência maravilhosa e inesquecível.

Mais informações
Vinícola Leone di Venezia
(49) 99967-3668 (falar com Katari)
https://leonedivenezia.com.br


Alexandre Furniel

Embaixador Birdymee, sociólogo, sommelier e proprietário da Bendito Vinho.

[email protected]

(11) 99617-3909